Pedro The Lion – Winners Never Quit (2000)

winners-never-quit-2012

escrevi esse post pelo menos seis vezes até agora. comecei pensando em fazer algo um pouco mais longo pra compensar minha falta de post semana passada, e percebi nesse disco, um dos meus preferidos, uma narrativa assustadora. tive que parar e começar de novo o disco algumas vezes pra me certificar que, sim, essa narrativa estava lá.

David Bazan é um mestre em disfarçar críticas ácidas em músicas que soam inocentes, e esse disco, que vou dissecar música a música, é o perfeito exemplo. me acompanhem nessa jornada pelo disco Winners Never Quit, do Pedro The Lion, o disco que funde perfeitamente a música e a forma de contar histórias.

antes de entrar no disco, um pouco de contexto: David Bazan, a mente criativa por trás do extinto Pedro the Lion, foi visto no início de sua carreira como um poeta cristão. na época desse disco, no entanto,  ele se viu perdendo sua fé, caindo no alcoolismo e decepcionando sua família e sua comunidade, ambos cristãos. tenha isso esse contexto em mente ao ler a narrativa a seguir. sem mais delongas, vamos lá.

(tl;dr. recomendo a leitura, mas, é, tl;dr)

Slow and Steady Wins the Race

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=H5Nn5PidUpY]
(letra)

o disco começa descrevendo dois irmãos: um bom filho e um mau filho. como grande parte das músicas, essa é centrada no irmão bom, o religioso de sucesso, e ela soa como um elogio aos valores cristãos. no entanto, ela mostra o quanto a virtude religiosa e o sucesso financeiro podem ser falácias e o quanto a ilusão de estar certo e a ganância pelo poder pode nos deixar cegos.

when I arrived at grandma’s house
she had made us tea and cake
she asked me where my brother was
I said “I don’t know”, and ate

Simple Economics

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=YOZr3lUnxxM]
(letra)

sobre o poder e as formas de obtê-lo. a história de um politico, o irmão bom da música anterior, que mostra como a política, a sexualidade e o poder estão interligados e como a moral pode ser flexível. Bazan consegue revelar nessa faixa tudo o que vê de errado na sociedade: o machismo, a ganância, a noção de sucesso na vida e o estado atual da política.

when you’re nothing but a boyfriend
dangling by a thread
keep in mind the bottom line
diamonds are a girl’s best friend

To Protect the Family Name

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=_DAgAURmPKE]
(letra)

uma música bêbada que serve de contraponto à primeira do disco. ela dá a visão do outro lado, o do filho mau, pecador e sem sucesso, que assume esses papéis por não conseguir seguir os valores de seu irmão. a música é sobre uma pessoa que tenta ser a melhor possível e “não manchar o nome da família”, mas que, sem o amparo de seu irmão de sucesso, adquire um vício ao álcool – aqui rotulado como pecado pelo irmão religioso.

so, you see, you can’t arrest me
I swore I’d be careful not to
further shame the family name

A Mind of Her Own

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=qxavL9SsL1s]
(letra)

muito forte, violenta e poética. sobre o irmão de sucesso, que pensa estar acima de tudo e todos por compreender e usa melhor palavra de deus para conseguir seus objetivos. ela completa a segunda música ao descrever um homem tão cego pelo poder e pela religião que é capaz de maltratar sua mulher por ela concordar com seu inimigo, ou seja, por ter uma opinião própria. novamente a política, a religião e o machismo visto pelos olhos de um cristão em conflito.

hey, where do you think you’re going?
don’t you walk away from me
you put down that telephone
you’re not calling anyone

Never Leave a Job Half Done

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=MtI0HRBmAMU]
(letra)

claramente a consequência imediata da música anterior. essa revela a violência de um marido que assassinou sua esposa para manter sua posição social de poder. um retrato da psicopatia do ser humano levado às últimas consequências. o resumo da ópera: o poder vale mais que qualquer vida e nunca devemos poupar esforços para obtê-lo. essa música me enjoa toda vez que a ouço.

she almost ruined everything

Eye on the Finish Line

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=B9V731Gp5cg]
(letra)

a música mais confusa do disco. ela te coloca dentro da mente do mesmo personagem das anteriores. ele diz que está com a consciência tranquila de ter feito tudo que achava ser certo, mas não consegue lidar com a morte de sua esposa, realizada com as próprias mãos. ele percebe que ninguém verá o que ele está prestes a fazer, seu suicídio, com bons olhos, mas que isso é para o bem coletivo da família. o personagem se retrata como mártir, o que faz com que você veja como essa pessoa tenebrosa e violenta se comparava e se modelava na imagem de Jesus. difícil de digerir.

given the time, I think she would have understood
that it was for the greater good
soon I will meet her at our mansion in the sky
leaving this wicked world behind

Bad Things to Such Good People

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=2CUwKvgqt0M]
(letra)

essa é sobre o outro irmão, preso por dirigir bêbado na terceira música, indo ao enterro de seu irmão suicida. a música fala sobre como pessoas péssimas podem ser vistas como heróis se elas esconderem bem suas maldades. sobre como a mentira se torna fato e como os valores podem ser deturpados. Bazan joga aqui outra alfinetada à religião, retratando a inexistência de justiça divina, tanto pro bem quanto pro mal.

the irony to see my dad down on his knees
crying out to Jesus
‘but Lord, I’ve always done what’s right’
and all the while
the good Lord smiled
and looked the other way

Winners Never Quit

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=2fJ2c0usUWY]
(letra)

um perfeito fechamento pra essa narrativa. vista como a moral da história, essa música retrata como você se dá uma segunda chance quando você reconhece suas falhas. ela fala que o vencedor não é aquele que não desiste e que sempre mantém seus olhos na linha de chegada, mas aquele que sabe reconhecer os problemas em si mesmo; e a faixa cai como uma luva para fechar o álbum, já que, seguindo a narrativa, o irmão mau tem que desistir de algo – a bebida – para que possa ser o vencedor.

count it a blessing that you’re such a failure
your second chance might never have come


se você conseguiu me acompanhar até aqui, parabéns. nem eu teria essa paciência. mas se não (ou se clicou no tl;dr do começo do post), relaxa e ouve o disco com calma, sem levar a narrativa tão a sério. o disco é sensacional mesmo sem o contexto narrativo, as músicas são simples, sensíveis e podem ser interpretadas individualmente. se depois de ouvir você quiser saber um pouco mais, esse post não vai a lugar algum e você pode voltar quando quiser (ou me pagar uma cerveja pra eu te convencer que o disco é lindo). =)

espero que tenham gostado. se gostaram, me deixem ficar sabendo pra que eu possa fazer isso mais vezes. foi maravilhoso pesquisar algo mais a fundo. fico aqui e semana que vem volto com algo mais light. um abraço e até mais! o/

ouça: spotify | rdio | youtube

tracklist:

  1. Slow and Steady Wins the Race
  2. Simple Economics
  3. To Protect the Family Name
  4. A Mind of Her Own
  5. Never Leave a Job Half Done
  6. Eye on the Finish Line
  7. Bad Things to Such Good People
  8. Winners Never Quit

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s