Mew – Frengers (2003)

frengers

Mew (a banda, não o pokémon) é uma banda dinamarquesa de Dream Pop/Rock Alternativo. atiçou seus preconceitos? então vem comigo, vamos ver se eu te convenço de que é uma banda que vale pelo menos uma ouvida usando um cd que mistura a ousadia e alegria pra vencer (é, eu fiz essa referência): Frengers – Not Quite Friends But Not Quite Strangers.

Continuar lendo Mew – Frengers (2003)

Pedro The Lion – Winners Never Quit (2000)

winners-never-quit-2012

escrevi esse post pelo menos seis vezes até agora. comecei pensando em fazer algo um pouco mais longo pra compensar minha falta de post semana passada, e percebi nesse disco, um dos meus preferidos, uma narrativa assustadora. tive que parar e começar de novo o disco algumas vezes pra me certificar que, sim, essa narrativa estava lá.

David Bazan é um mestre em disfarçar críticas ácidas em músicas que soam inocentes, e esse disco, que vou dissecar música a música, é o perfeito exemplo. me acompanhem nessa jornada pelo disco Winners Never Quit, do Pedro The Lion, o disco que funde perfeitamente a música e a forma de contar histórias.

Continuar lendo Pedro The Lion – Winners Never Quit (2000)

Riot Fest Chicago (2014) – Parte 2 – Gogol Bordello e Offspring

 riotfestlogo

Gogol Bordello é uma das bandas mais interessantes que tem por aí. Tem violino e acordeão, músicas cantadas em inglês, ucraniano, espanhol e português, 8 integrantes que dominam completamente o palco e uma mistura absurda de nacionalidades. Tem Ucrânia, Equador, Rússia, Etiópia, China e mais alguns outros! Isso faz com o que o som deles seja bem diferente de tudo. E o show é sempre incrível, mas o tempo ainda estava horroroso.

De onde eu estava, bem lá atrás na platéia, eu via que as pessoas estavam gostando do show, mas não dava pra se animar muito. Tava muito frio e molhado pra dançar, então bater os pés no chão (na lama) era o máximo que dava pra fazer. As mãos só saíam do bolso pra bater palma entre as músicas. Merecidas, porque em cima do palco, o pessoal tava muito mais animado. O show estava sendo ótimo como sempre.

Continuar lendo Riot Fest Chicago (2014) – Parte 2 – Gogol Bordello e Offspring

Riot Fest Chicago (2014) – Parte 1 – NOFX

Riot-Fest-2014_logo

Na minha adolescência anarco-punk-sindicalista-poser, as minhas bandas preferidas eram Pennywise e Offspring. E o Smash, segundo disco do Offspring, era o meu álbum favorito. Quando eu descobri que a banda estaria fazendo uma turnê especial de 20 anos do Smash e que iriam tocar o disco inteiro, eu decidi que assistiria um dos shows. Só faltava escolher o lugar. E, nas minhas pesquisas, eu descobri o Riot Fest. Segue abaixo o modesto lineup da edição deste ano.

riotfest_lineup

 

O lineup já tinha me impressionado o bastante para querer ir, só que, além disso, esta seria a edição especial de aniversário de 10 anos do festival. E, para comemorar, além do Offspring tocando Smash, outras 9 bandas tocariam na íntegra os seus álbuns mais icônicos. Sendo estes:

The Offspring – Smash
Descendents – Milo Goes to College
NOFX – Punk in Drublic
Weezer – The Blue Album
Slayer – Reign in Blood
Jane’s Addiction – Nothing’s Shocking
Cheap Trick – Heaven Tonight
Samhain – Initium
Naked Raygun – Throb Throb
The Get Up Kids – Something to Write Home About

Simplesmente absurdo. Comprei o ingresso, comprei as passagens e fui pra terra de Al Capone.

Continuar lendo Riot Fest Chicago (2014) – Parte 1 – NOFX

Vic Chesnutt – At The Cut (2009)

VicChesnutt_AtTheCut

um disco sobre a morte. esse é definitivamente um dos mais depressivos discos feitos nos últimos tempos. At The Cut, de Vic Chesnutt mostra não só uma das formas mais criativas de abordar o assunto, mas também o brilho e a beleza de um dos escritores de música mais subestimados da última década.

Continuar lendo Vic Chesnutt – At The Cut (2009)

Blind Boys of Alabama – Spirit of the Century (2001)

Muita gente sabe que boa parte da música ocidental tem raízes na música dos escravos. Rock, blues, jazz, soul, country, tudo isso vem também do que os negros cantavam. Mas como pouca gente parou pra ouvir, hoje o Garimpo é roots; hoje o Garimpo vai tratar de spirituals.

spirit-of-the-century

Continuar lendo Blind Boys of Alabama – Spirit of the Century (2001)

Toni Tornado – Toni Tornado (1971)

Por conta do meu último post que tratava sobre soul e por conta de umas festas de black music por aí, resolvi pesquisar um pouco mais sobre esse estilo, principalmente em território nacional. Por aqui, acabamos que ficamos só no mainstream do Tim Maia, mas tem um mundo de coisa boa aí por baixo e gostaria de começar por ele Toni Tornado e seu primeiro disco que tem muito de soul e funk, principalmente.

tony tornadoQuando falo em Toni Tornado me vem duas coisas a cabeça: Caça Talentos – um programa da Angélica de 1996 (talvez o Gerardo não lembre) – e da sua apresentação BR-3 (que faz parte do disco) no Festival Internacional da Canção de 1970. E é isso. Então vim pesquisar o disco sem saber sobre o que esperar e me surpreendi muito.

Continuar lendo Toni Tornado – Toni Tornado (1971)